segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

3 comentários:

  1. Por coincidencia, ou não, mexendo em alguns arquivos antigos,acabei de ler AUSENCIA no meu pc....e agora aqui, encontro-o novamente.rs
    Sinal de que você está mais LEVE, nao PESADA, como da ultima vez q a vi...ou como da ultima vez que 'a lí'...assim espero.

    O silencio é bom. Faz-se entender. Tudo.
    Deixa ir, faz o que no fundo sabe que deve fazer. É como um vício...impregna na alma.
    Mas faz chorar. Faz sofrer.
    Troca de roupa então! Joga o velho all star fora. Customiza teus olhos, faz aqueles traços que são só seus.
    Deitada no chão para nao haver quedas?
    Deita de pernas pro ar! Voa! Deixa livre as borboletas nas pontas dos seus dedos...fica linda assim. Quando escolhe sorrir.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria muito mesmo descobrir esse anonimo, ahh. é alguém que eu precisaria do meu lado neste momento.

    ResponderExcluir