sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

parece conformismo, mas é só ponto de vista

A nossa maior prisão ainda é o tempo, e só através do seu movimento é que se faz possível enxergar os reais motivos dos acontecimentos como o da dor, da agonia, do medo, do terror, das alegrias, daquilo tudo que nos moldou até aqui.
Talvez eu tivesse de ser traída por uma pessoa que muito amei para nunca me deixar ser traída por mais ninguém. E talvez eu tivesse mesmo que perder um amigo para pedir perdão a outro. E ainda, talvez eu tivesse que perder as melhores oportunidades porque elas não eram as melhores oportunidades.
É impossível vislumbrar o futuro, e é da limitação do presente que fazemos o nosso melhor juízo falho. Que me aconteça o melhor, mas o melhor que eu não sei, nunca soube e sempre me surpreendeu, porque até as maiores dores tem de reflexo as suas alegrias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário