quinta-feira, 27 de agosto de 2015

cuspe

Me contaram que se eu quiser muito muito mesmo parar de pensar muito numa coisa, é preciso botar ela pra fora e deixar escorrer pelo ralo. Mas e se eu for derramar por aqui frases como minha pele sente falta dos seus dedos ou meus pelos sentem falta dos seus toques ou minha cintura sente falta das suas marcas ou meus lábios sentem falta da sua lingua... Ai pensei que essas palavras me trariam poesia. Mas tudo que vem de você fica tão brega no papel.
Então sim.
To cuspindo você pra fora de mim.
To me esvaziando de você.
To deixando você escorrer.

Mas acontece que eu esqueci de comprar uma tampa pro ralo da pia naquela lojinha da esquina.

Um comentário: