segunda-feira, 7 de junho de 2010

ei, Mundo

Quando parou para se observar, não estava mais. Não estava mais onde tinha se deixado. Não estava para que pudesse ser buscado.
E agora, Mundo? Você ainda pode enxergá-lo?

"Estou aqui mais uma vez. Ou melhor, não estou. Mas quase estive um dia. Sempre quase. Quando tentei acreditar que o coração fosse algo que fizesse sentir, tentei acreditar no que pensava ser mais bonito. Agora não saio mais dessa minha verdade apagada que me faz desaparecer perto de qualquer tentativa de me resgatar do fundo. Sim, Mundo. Estou cada vez mais longe da superfície. Não sinto mais as minhas mãos - Não sinto mais. Ainda não sei se é pelo frio que vem de fora, ou esse que guardo aqui, esse que vem de dentro. Quase nevando. Branco. Neve. Nada. Me faço presente na maior ausência existente e sei que isso deveria doer. Mas, Mundo, disso eu já não sou mais capaz."

Tudo estava escrito em silêncio, e era impossível de ouvir.

Um comentário:

  1. não gosto do que escreveu, porque não gosto do que sentiu pra escrever isso.

    ResponderExcluir