terça-feira, 28 de junho de 2011

quebra-cabeças

Depois te todo esse tempo de tentativas falhas de ir embora por medo do desenho que minha vida estava montando, em fiquei. Eu aceitei que devo ficar. Olhar pra trás ta confuso e angustiante. Tem um buraco logo atrás dos meus pés - como se o tempo todo que tentei fugir tivesse se apagado. Esse buraco ta me impedindo de voltar a fugir. Não tem como eu voltar a fugir. E, também, quem disse que ainda quero fugir? Eu não quero fugir. É como se o desenho tivesse mudado, e as peças do quebra-cabeça quisessem se encaixar diferente dessa vez, para montar alguma coisa bonita. E, agora, eu só estou aqui, tentado montar alguma coisa bonita. Um quadro novo, desses de deixar na parede. Às vezes a gente demora para se encaixar, mas é só sair, respirar fundo, bater o olho direito, que as coisas encontram o seu lugar, assim, aos poucos…

Um comentário:

  1. E assim, devagar e esperançoso, caminhamos nessa nas trilhas das incertezas mais certas que já vi.
    O tempo nos da uma pausa para pensarmos naquilo que podemos consertar em nós mesmos, para em alguns casos, termos a certeza de mudar e transformar os espinhos do passado em rosas de um futuro bom.
    Menina... =)

    ResponderExcluir