quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Em meio a (feli)cidade, longe do mar.

Não tenho mais momentos para descrever-lhes, eles não saem em palavras, todos os meus últimos momentos são tão bons que grudam em mim e fazem com que eu não queira dividi-los. Eu não preciso nem da brisa do mar pra me sentir voar. Eu sou egoísta com o que é meu. Mas tem uma coisa que quero lhe cantar: “Eu só penso em você, em querer te encontrar...”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário