quinta-feira, 2 de abril de 2009

sobre quem sou

Essa minha mania de estragar tudo. Por que eu simplesmente não aceito logo as coisas como elas são? Preciso ficar sempre me sabotando, para depois parar e rir no espelho. Na verdade, eu só queria ter certeza de que não sinto isso sozinha. Não posso mais viver mergulhada nessas ilusões, no perigo de me afogar a qualquer momento.
Às vezes, odeio ser desse signo. É que eu queria relaxar mais, e conseguir fazer as coisas andarem sem precisar ficar planejando a minha vida toda o tempo todo, sem ficar criando falas que ninguém nunca irá interpretar. Tenho que divorciar as expectativas da minha cabeça, parar de abraçar o pessimismo, e largar mão de me conformar com a montanha de coisas que tive preguiça de consertar. O que mais me cansa, é estar cansada.
Quer saber o que eu queria mesmo? Conseguir dormir agora e pensar em nada, sonhar com algo que não faz parte dessa minha vida, e acordar amanhã plena. Queria voltar a ter vontade de correr, mas me sinto estagnada demais para isso. Acho que preciso parar de ficar querendo tanto. Droga! Devo ter enlouquecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário