domingo, 26 de abril de 2009

é difícil continuar

Desliga essa porra, agora!

Não quero mais saber disso. Cansei. Meu cérebro não aguenta. Está exaurido, enxuto, seco. Como um lençol freático que murcha ao ser furado pela agulha cilíndrica de metal.

Ta demorando pra apagar porquê?
Será que vou ter que berrar implorando?
Apaga essa merda! Agora!

Ofusca demais essa visão. Me sinto carregando uma cruz de bronze, ao invés daquela de madeira que pregaram o pobre coitado que nada tinha a ver com a história toda.

Apaga. Por favor, apaga.
Da minha frente, da minha mente e dos meus olhos.

Essa luz de aleivosia que eu vejo, dentro da lâmpada das memórias. Apaga.

Preciso da escuridão de novo, para que a luz nasça novamente.

É só passar a mão pela parede e resvalar no interruptor...
Apaga? Por favor, apaga?

Nenhum comentário:

Postar um comentário