terça-feira, 13 de outubro de 2009

sobre o medo

Não sei. É que eu estou assustada há tanto tempo, que me esqueci do quanto estou assustada. Essa coisa de ter aquilo que me faz bem não costumava ser parte do meu dia-a-dia. Era raro, quase impossível. De repente, entrou na minha vida tão rápido e sem jeito, que eu me assustei. Estou assustada até hoje. Assusta-me meu medo e o modo que você reage ao seu. Como já reagiu. Como as coisas vivem assim? É realmente assustador... Como o ser humano pode conviver com dores tão intensas, conviver com o orgulho ferido, conviver assustado dessa maneira, e continuar a conviver, mesmo depois de tanta história, passando por cima de toda a rotina e tédio e lágrimas e mentiras e decepções e mágoas e dor, dor e mais dor... Como pode continuar querendo e sorrindo e sentindo falta e desejando e, amando, sendo assim tão assustador? Eu não sei. Não sei. Pra mim, ser feliz é a coisa mais aterrorizante do mundo.

11 comentários:

  1. ou é feliz vive uma rotina de tédio, lágrimas, mentiras, decepções, mágoas e dor. dor e mais dor tem relação com felicidade? não entendi a ligação...rs

    ResponderExcluir
  2. é, voce realmente não entendeu. e acho bem dificil mesmo explicar.


    as vezes, só quem passa por essas coisas entende.

    ResponderExcluir
  3. Ser feliz é necessário e impossível. Os obstáculos tornam as situações intensas e fraquejantes, as torna fáceis, e o que é fácil, nunca é certo.

    ResponderExcluir
  4. Talvez a pessoa da qual gostamos não seja a mais ideal, não seja a que mais combina conosco, mas aí se fosse, talvez não tivesse a mesma graça.. ou talvez os relacionamentos que dão, aparentemente, tão certo, sejam aqueles em que ambos tiraram a sorte grande de juntar todas as coisas: o amor, a química e a combinação dos defeitos e qualidades...."e depois de tudo isso como pode continuar querendo e sorrindo e sentindo falta e desejando?" Eu também não sei!

    ResponderExcluir
  5. "Como pode continuar querendo e sorrindo e sentindo falta e desejando e, amando???"

    Não sei............sei q um dia, tudo isso passou. Ou não.

    ResponderExcluir
  6. o ultimo anônimo será que eu sei quem é? =/

    mas então todos os comentários que vi hoje são do mesmo, e não parecem ser.

    CONFUSA.

    ResponderExcluir
  7. O último anonimo sou eu.
    Já os outros não sei dizer...

    Sempre por aqui.

    ResponderExcluir
  8. você usou tantos pontinhos assim?

    você combina mais com o primeiro, mas tudo bem. rs


    e agora, por pensar que sabia quem era o ultimo, eu fiquei MAIS CONFUSA.

    ResponderExcluir
  9. rsrsrsr
    Usei muitos pontinhos mesmo. Pra você ver a complexidade do meu 'não sei'! rs
    E a propósito, eu disse que costumo gostar muito de quem usa reticências, lembra?

    Talvez eu combine um pouco com o primeiro anônimo sim. Mas não no momento em que comentei. Ele estava até que esperançoso. E eu não.


    Sobre o medo?...um dia as dores, o orgulho ferido, as mágoas, as decepções e as mentiras se tornam insuportavelmente maiores do que o sentimento que ainda existe no peito. Apesar de nem se saber mais que nome dar a ele.
    Chega um dia em que tudo isso passa...Mas que dia? Quanta demora.
    Esse dia chega. Aquele dia do passo trêmulo e corajoso pra fora do elevador mofado. O dia do alívio. Da felicidade.
    Um dia tudo isso passa; como eu disse.
    Ou não.


    Sempre por aqui.

    ResponderExcluir
  10. É, o 'ou não' é quase uma faca.

    ResponderExcluir
  11. É sim...dói né? Mas não posso negar que ele exista.
    Ele fica quietinho, adormecido.
    De vez em quando acorda, junto com aquele sentimento sem nome, que vem não sei por quê, sempre na pior hora.
    Mas é só de vez em quando. As vezes.
    Porque realmente um dia tudo isso passa.
    Até o 'ou não'.
    Acredite ou não; é assim.
    Ponto final.


    Sempre por aqui.


    =)

    ResponderExcluir