quarta-feira, 17 de outubro de 2012

como um peixe

Chegou em seu quarto e chorou tudo o que guardava a seco dentro do peito. E sufocava, e virou água, e deixou que escorressem os dias. As bolhas levaram todo o seu fôlego para a superfície, quando então, acabou por se afogar. E a dor não morre por falta de ar.

2 comentários:

  1. "E a dor não morre por falta de ar" me deu até um arrepio :s

    ResponderExcluir
  2. Me lembrou de um trecho de uma música que ouvi por acaso um dia desses. Dizia "...e viver como um peixe em uma poça, condenado a preferir a escuridão, porque se o sol sair, você irá secar..."

    ResponderExcluir