domingo, 27 de dezembro de 2009

e fim

2009 foi o ano da dúvida, do medo, da incerteza, da insegurança, do amor dilacerado, do coração destroçado, da dor, da dor intensa, da tristeza, do choro, da lágrima. E aí, o que era para ser uma coisa simples, se tornou um peso na vida, uma perna a mais para arrastar, um problema que não tinha solução.

2009 foi o ano da desmistificação do amor. Aos poucos, entendi que a vida não é de seriado. Se me tornarei alguém pior por isto, não sei, mas teve que ser assim.

2009 foi também o ano de sorrisos sinceros, experiências, pessoas incríveis, sentimentos intensos, festas, novos lugares e amigos mais amigos.

Não posso negar, teve até um pouco de equilíbrio.
Mas um lado sempre pesa mais.




Eu to indo ver o mar, pular as sete ondinhas e jogar flores pra Iemanjá, acreditando que meu sorriso de canto de boca pegue minha boca inteira de jeito no ano que vem.

5 comentários:

  1. e espero isso que o sorriso chegue para todos,afinal,2009 já é passado e que venha 2010=)

    ResponderExcluir
  2. "acreditando que meu sorriso de canto de boca pegue minha boca inteira de jeito ano que vem"

    rs, adorei esse trecho.


    Sorriso de canto de boca...se pensar bem é a felicidade instigando o seu rosto. Beijando as covinhas charmosas na ponta do seu sorriso largo, convidando-o a se abrir por inteiro.
    E que apesar das mudanças, boas ou não, que a a nova mulher que virá, assim como o novo ano, nunca se esqueça que ela é a dona da boca, a dona do sorriso, a dona das suas lagrimas de alegria e de tristeza. Ela é. A dona do seu destino.
    E eu to indo ver o mar também...acreditando que ELA vai pegar a felicidade de jeito ano que vem.


    =)

    ResponderExcluir
  3. feliz 2010! Que o ano novo venha com muita inspiração e novos textos!

    bjo

    ResponderExcluir
  4. Hum. Senti o perfume da tristeza.
    Uma preguiça cinza, ou até uma falta de paciência para letras, pontos e sintaxe.
    Mas deixa.
    Costumo gostar de quem usa reticências.
    E além do mais, depois de um ponto final sempre acaba aparecendo um novo parágrafo.
    A tinta da minha caneta hoje está meio apagada, dançando entre os meus dedos perdidos, apoiados no papel...
    Mas deixa.
    Costumo gostar, e muito, de quem usa reticências.



    Sempre por aqui.

    ResponderExcluir
  5. e sempre com bons comentários.


    não sei quem é você, ja dessiti de saber, mas me agrada sua presença.

    ResponderExcluir