sábado, 20 de março de 2010

escondida

Merda de vida. E eu falo isso como se estivesse com uma garrafa na mão, olheiras enormes, fedendo a bebida; mas eu pareço completamente bem em frente ao computador, ouvindo Cazuza.
Minhas roupas estão limpas, meu corpo está ileso, minhas tarefas estão organizadas. E por dentro essa podridão infinita, como se este corpo estranho estivesse possuindo minha alma.

2 comentários:

  1. Às vezes eu me sinto culpada por me sentir tão podre por dentro, sendo que tudo está, de verdade, tão perfeito por fora. Me sinto culpada, fico achando que eu deveria estar podre se minha vida fosse realmente ruim.

    Regina Spektor *-*

    ResponderExcluir
  2. você escrever por mim,merda de vida [2] e eu também continuo aqui em frente ao computador,ouvindo musica...

    ResponderExcluir