terça-feira, 16 de dezembro de 2008

solidão

Era uma vez um comprimido para dormir.
Abandonado pela amada, ostracizado pelos analgésicos, único na embalagem, entrou em depressão profunda.
Sentado num canto do frasco redondo, aguardava o fim da validade.
Um dia não agüentou mais, tomou-se a si próprio e morreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário