terça-feira, 19 de maio de 2009

mãos dadas com a covardia

Eu só queria pegar uma carona para outro lugar, já não estou onde quero. Pouco do que tenho hoje tem alguma ligação direta com o que realmente quero ter, ser. E ter... ter é um problema. Um dos pensamentos mais antigos que carrego é o de que a gente nunca quer o que tem, uma maldição. Não! Droga! O que me desperta vontade é tão subjetivo e onírico, que me faz fugir. E sabe, eu até enxergo certa beleza na covardia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário