domingo, 24 de maio de 2009

sobre minha desesperança

Sou livre: já não me resta nenhuma razão para viver, todas as que tentei cederam e já não posso imaginar outras. Ainda sou bastante jovem, ainda tenho força bastante para recomeçar. Mas recomeçar o quê? Só agora compreendo o quanto, no auge de meus terrores, de minhas náuseas, tinha contado com alguém para me salvar. Meu passado está morto. O Sr. Ilusões está morto, este só retornou para me tirar toda a esperança. Estou sozinho nesta rua branca guarnecida de jardins. Sozinho e livre. Mas essa liberdade se assemelha um pouco à morte.

Um comentário:

  1. menina menina, fica bem.




    você consegue fazer tudo melhorar!

    ResponderExcluir