quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O mundo é tão pouco meu, que essa parcela insignificante do que me pertence as vezes parece se dissolver por completo. E essa parte tão pouco minha das coisas vai pra onde?

Nenhum comentário:

Postar um comentário