quarta-feira, 22 de julho de 2009

assim

Mal parecia. Nem de longe como Monet e pouco de perto com olhares clínicos.
Haviam, afinal, marcado o mesmo encontro ou tudo não tinha passado de uma real coincidência?
Frente a frente, olhavam-se de jeito minimalista o outro. Imperceptível.

- Tudo bem?
- Sim. E você?
- Tudo e você?
- Também, e você?
- To bem, e com você, tudo bem?
- Sim. E com você, tudo bem?
- ...

Daria, então, para escrever um livro em silêncio e sobre o silêncio.

Beijaram-se, como nunca com outra pessoa ou entre eles mesmos.
Foram três horas de beijos picados na casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário