domingo, 5 de julho de 2009

vamos chamar de desabafo, então

Eu não sei... Parece que virou um hábito começar um parágrafo com um "eu não sei". É claro que eu sei. Pelo menos, eu sei muito bem tudo o que estou sentindo. Não acredito que um desabafo caiba aqui nesse blog, talvez eu nem tenha algo muito poético para dizer. Mas ainda assim são palavras, não é mesmo? E não tenho idéia de quanto tempo faz que não seguro em uma caneta, pra valer. Parece que fiquei assustada demais para falar claramente tudo aquilo que quis - e não duvido que esse seja o real motivo da minha garganta estar inflamada, já que um mundo de coisas queimou aqui dentro enquanto acobertadas pelo silêncio - E eu me sentia tão sortuda! Afinal de contas, tudo se ajeitou na faculdade, tenho saúde, e blá, blá, blá. Eu me sentia muito sortuda até a minha menstruação começar a atrasar, até a TPM estendida tomar conta de todos os meus ataques de duvidas e fúria que prefiro reservar ao meu quarto, a mim mesma e um pouco ao namorado (acredite, um pouco), e claro, até ter perdido aquela segurança de estar fazendo o que é certo porque não fechei a droga do meu bolso direito. Se ao menos eu conseguisse aprender a fechar meus olhos direito, e me deixasse ver somente o que eu consigo suportar, juro que nem ligaria para essa segurança! E de vez em quando, algumas coisas que eu escuto, doem tanto que chegam a ensurdecer meus ouvidos, a ponto de que eu apenas escute os meus próprios medos e maus-desejos, que acredite, não mudaram muito, acho que não mudarão nunca.

2 comentários:

  1. nossos sonhos geralmente nunca mudam...apenas surgem mais e mais coisas q desejamos, e nao entenda coisas somente por matéria, nossos sonhos so o limite da nossa alma, por isso eles nunca mudam, somente aumentam.

    ResponderExcluir
  2. quaria entender como sonhos também, mas mau desejos não é sonho.

    não sei o que se passa, perdi todo o fio da meada!




    fica bem! faz oque te faz bem!
    fuja de tudo se preciso!

    você anda muito down.

    ResponderExcluir