segunda-feira, 13 de julho de 2009

até então, era só o tempo

Ainda tem muito que cicatrizar. Fechar por fechar, não ta sagrando e já não dói. Mas ainda ta o livro aberto em cima do criado mudo, os beijos, abraços, carinhos, telefonemas, paradas, músicas, faróis vermelhos e tudo assim, meio que na contra mão de tudo que eu sempre esperei.

Hoje eu percebi uma carência absurda... de ficar sozinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário