sexta-feira, 21 de setembro de 2012

aos pedaços

Um ponto fixado no tempo onde tudo mudou. Mudança calada, que arranha a garganta. Daquele dia em que o chão partiu sob seus pés. Foi ali, naquela queda, que se perdeu varios pedaços de si. Um pedaço que permitia aos pés dançar no meio da rua sem medo, outro pedaço do sorriso que se abria sem vergonha dos seus dentes tortos, e outro, que deixava o coração se jogar sem estar antes bem amarrado à quatro cordas. Da queda só sobrou fragmentos de tudo que ela sabia viver, e hoje ela caminha partida, partindo daqui. Hoje, ela caminha o mundo pra provar os pedaços dos seus sorrisos que encontra por aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário